Observações, decisões, adaptações

Por cada vez que recebemos novas cartas na mão, surge uma situação nova para pensar. Dizem que no Poker não há uma ciência exata. Mas, sem discordar de tal afirmação, apenas vendo o Poker de uma perspetiva diferente, conseguimos afirmar que a adaptação é a ciência exata do Poker. Durante um jogo, mudam os jogadores, mudam as stacks, os jogadores cansam, ficam exaltados ou animados. Batem as badbeats, a nosso favor ou contra nós, ou muda a estratégia dos vilões. Poker é uma mão cheia de informações incompletas, incógnitas para as nossas decisões.

Seguir apenas um estilo de jogo em nada nos vai fazer bons jogadores de Poker. Os manuais para iniciantes sempre nos dizem o mesmo: jogar tight. Até pode ser bom no início, mas depois de algum tempo, deixámos tantas mãos fora, falhámos tantas situações em que poderíamos ter aprendido alguma coisa, ou mesmo uma lição importante.

E, como no Poker, não basta um estilo de jogo, o facto de não aprendermos a adaptar ao jogo impede que realmente cheguemos algum dia a um nível superior. Se apenas jogarmos tight, e não aprender a apostar para roubar fichas (steal) ou apostar por bluff para igualmente roubar fichas, em 100.000 mãos, estou a perder talvez entre 10.000 e 30.000 mãos em que poderia ter ganho mais do que ganho habitualmente. Pelo contrário, se eu aprender a jogar Loose, poderei explorar muitas situações contra determinados jogadores onde aposto para roubar fichas e ganhar mais dinheiro.

Desta forma, jogar tightloose, passivo ou agressivo, tudo depende da situação em que nos encontrámos. Para resolver uma situação, preciso me adaptar, variar um pouco da minha estratégia de segurança e procure a melhor decisão possível.

Para me adaptar e tomar a melhor decisão, preciso de me adaptar. E para me adaptar bem, preciso obter o máximo de informações possíveis dos vilões que estou a enfrentar, como o seu estilo, os ranges de 3betflat callcold callsteal, se é um range linear ou balanceado, se faz float, se faz squeeze, etc. E, depois, devo me adaptar, em função das informações que recolhi, e me defender ou explorar os vilões como for possível.

Até mesmo um par de ases deve ser jogado de forma diferente em situações diferentes.

Limitar-se a jogar tight, para mim, é uma teoria que cai por terra quando os objetivos no Pokersão chegar a níveis superiores. Não é a jogar de forma fechada e sem criatividade que vamos explorar o máximo dos vilões.

Se alguém não deseja explorar os vilões, se não entende que é necessário se ser criativo para se adaptar, se não compreende que se deve moldar a cada situação, então esse alguém nunca será um jogador de poker de sucesso.

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s